Plano de Acessibilidade em Arujá foi iniciado pela Prefeitura

A Prefeitura de Arujá, por meio das secretarias Municipais de Planejamento e de Obras e Serviços, deu início no mês de junho à elaboração do Plano de Acessibilidade Municipal (PAM). O objetivo é diagnosticar e estabelecer diretrizes, estratégias e ações com a meta de garantir acessibilidade às pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida.

São três as etapas a serem cumpridas para a construção do PAM, explica o secretário de Obras, Juvenal Penteado. Primeiramente, estão sendo estudadas as metodologias apropriadas para a execução do plano. Em seguida, será feito o diagnóstico dos pontos da cidade que exigem acessibilidade. Por fim, serão traçadas estratégias e ações para a adequação dos locais.

A última etapa, que consiste na aplicação do plano, resultará em reformas e adaptações tanto em prédios públicos quanto em privados (que forem de uso coletivo). “Vamos, por fim, chegar a um cronograma físico-financeiro para a execução das ações. Com isso, queremos dar solução aos pontos onde há necessidade de mudanças com vistas à acessibilidade”, diz.

Para contribuir com a preparação do plano, nas próximas semanas será criada uma comissão que deverá ser formada por representantes do poder público municipal e da sociedade civil. Os integrantes irão acompanhar e avaliar a elaboração do PAM, propondo as medidas que julgarem necessárias ao desenvolvimento de seus princípios e diretrizes.

Penteado ressalta que a criação do PAM vai possibilitar a captação de verbas nas esferas estadual e federal e atende às Leis Federais nº 10.048, que estabelece prioridade de atendimento às pessoas com deficiências, idosos, gestantes e lactantes, e 10.098, que institui normas e critérios básicos para a promoção de acessibilidade às pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida.





Poder público e comércio

A arujaense Leide Rose Souza é uma das pessoas que está em busca de melhorias para as pessoas com deficiência física. Ela, que é cadeirante, esteve nesta sexta-feira (20/07) no Paço Municipal e foi atendida pelos secretários municipais de Obras e Serviços, Juvenal Penteado; Planejamento, João Vani; e Habitação, João Godoy.

Os secretários informaram à moradora a respeito da criação do Plano de Acessibilidade Municipal, que propõe ações contínuas e a médio e longo prazo. Penteado disse, ainda, que alguns casos pontuais estão sendo resolvidos, especialmente na região central da cidade, onde algumas ruas, calçadas e vielas sofreram adaptações recentemente.

“Com o plano, a cidade terá um planejamento traçado para que os locais públicos e particulares (de uso coletivo) passem a ser acessíveis a todos. É uma ação que demanda cuidado, por requerer a modificação de diversas estruturas, inclusive as mais antigas. Por isso, faremos tudo com muita cautela”, diz Penteado.

Leide, na oportunidade, destacou que as mudanças são extremamente necessárias para a locomoção de pessoas com deficiência. Ela disse também que é preciso uma conscientização neste sentido por parte dos comerciantes e empresários: “O nosso comércio precisa de acessibilidade. Nós acabamos buscando alternativas porque não temos condições de chegar ou adentrar às lojas, que hoje não estão preparadas para nos receber. Dessa forma, deixamos de consumir aqui”.

Fonte: Jornal A Cidade





Deixe seu comentário